• CONCERTOS
  • 23 de Novembro 2016

    Wrekmeister Harmonies

    unnamed (6)

    Os Wrekmeister Harmonies (WR) são um colectivo relativamente informal concebido e liderado há sete anos por JR Robinson, figura secreta e generosa daquele universo musical onde o “rock pesado”, a música sinfónica e o minimalismo se encontram. Quem consultar os músicos que passaram pelas suas fileiras vai encontrar gente como David Yow (ex- Jesus Lizard), Jef Whitehead (alter-ego dos Leviathan), Fred Lonberg-Holm, Chris Brokaw (ex-Codeine e ex-Come), Alexander Hacke (Einstürzende Neubauten), Chip King Lee Buford (The Body) ou Marissa Nadler. É uma lista que ilustra bem a constelação a que os WR estão ligados, mas está longe de resumir a música que fazem. É certo que as comparações e as alusões emergem diante do trabalho mais recente, The Night of Our Ascension (2015), inspirado no livro-vida de Primo Levi, “Se isto é Um Homem”. Permite escutar a densidade sufocante dos Swans, o classicismo dos Rachel’s, a solenidade dos Low, a inquietação dos canadianos GYBE! que nem por acaso acompanham JR Robinson e Esther Shaw neste concerto. Dito, isto, a singularidade autoral dos Wrekmeister Harmonies revela-se integral, irredutível a narrativas alheias. Trata-se música que não abdica da força lírica das guitarras, do grito furioso do rock (resistam, se conseguirem, a “Some Were Saved, Some Were Drowned”), que em lugar de uma publicidade contínua, prefere as profundezas e a gravidade (“Where Have You Been My Lovely”). A grandiloquência não é contudo um traço das suas canções. Fale-se antes de melancolia, de uma consciência existencial do mundo e da vida (bem patente nas menções a Bela Tarr e a Primo Levi) que embala, sem desespero, “My Lovey Son Reprise” (numa aproximação inesperada a Cohen e a Reed) ou explode, ao fim das notas de piano e do violino, em “The Gathering”. Rock que faz pensar, entre a electricidade, a marcha da bateria e as palavras. São os Wrekmeister Harmonies, ouçam-nos com coragem e esperança. JM

    Formação: J.R. Robinson (voz, guitarras) | Esther Shaw (teclas, voz) | Sophie Trudeau (piano, violino e voz) | Thierry Amar (baixo, contrabaixo) | Timothy Herzog (bateria)

    .
    .
    + info: FacebookBandcamp | Thrill Jockey | Vídeo

    .

    Entrada: 8€ | Bilhetes disponíveis na Tabacaria Martins, Flur e ZDB (2ª a 5ª; 22h às 02h / 6ª e Sáb; 22h às 03h) | reservas@zedosbois.org