• CONCERTOS
  • 29 de Março 2017

    Wolf Eyes

    Eyes Wolf
     .
    Os Wolf Eyes foram capa da The Wire, tocaram com Anthony Braxton e construíram uma muito respeitável legião de fãs, mas nunca se deixaram domesticar. Proletários de Ann Arbour (como os Stooges), adoradores da festa, mais ou menos bebida, exímios praticantes de headbanging, irromperam no underground americano com um fabuloso par de discos: ‘Dread’, de 2002 e ‘Dead Hills’, de 2003. Não, não se tratava de garage ou stoner-rock. O puxão de orelhas que Aaron Dilloway, Nate Young e John Olson deram, com alegria e estardalhaço, à geração Pitchfork tinha outros sons: ritmos lentos e sebosos, electrónica agitada, riffs distorcidos até ao ruído total, vozes guturais. Em poucas palavras: música industrial resgatada à erudição e ao distanciamento do pós-punk inglês e entregue ao desvario pós-juvenil de punks alimentados no hardcore, no metal e no dub. Quem assistiu aos concertos do trio na ZDB sabe que os Wolf Eyes fazem do noise uma celebração e que cultivam todo um imaginário que muito deve ao cinema de horror e ao death-metal. Mas os extremismo param aí, isto é ficam-se pela música, não a transcendem, não há programa. O que há é um grande e irrequieto amor pela música que se manifesta na extensa discografia individual dos três músicos ou nos diversos projectos paralelos (Faling Light, Regression ou Henry & Hazel Slaughter). Entretanto, em Março, editam o ‘Undertow’ (pela nova editora da banda Lower Floor) e o anúncio de uma digressão europeia confirma o que adivinhávamos. O rock and roll dos Wolf Eyes não só não morreu, como ganhou novas virtudes depois das aventuras a solo dos seus músicos. Por isso, esta noite só se ouvirá uma frase: For Those About to Rock We Salute You! JM
     .
    + Info: Site | Bandcamp | Fact | Entrevista | Soundcloud | Vídeo
    .
    .

    Entrada: 10€ | Bilhetes disponíveis na Flur, Tabacaria Martins e ZDB (quarta a sábado, 19h-02h) | reservas@zedosbois.org