• CONCERTOS
  • Terça, 17 de Abril às 22h

    Sleaford Mods

     

    Manhãs cinzentas, smog, construções morrinhentas, acastanhadas, ruas que outrora se preencheram com operários nefastos. Noites de chuva frequentadas por boémios, brigas entre hooligans, autoridades sem mãos a medir, punks e tantos outros anarcas. O clássico estereótipo da urbe britânica, persistentemente retratado nos media do passado e, muitas vezes replicado por vários conteúdos ficcionais. A virilidade de um povo encharcado de versos rudes, reproduzidos por tantas e tantas bandas ou artistas locais. Os versos de Sleaford Mods são assim, como um punho bem fechado nas nossas faces, por entre palavras cuspidas emerge o espírito punk, os movimentos Oi! e mod, ecoam como footbal chant marcado por graves colossais, capazes de desmoronar um centro urbano inteiro. Envolvem-se na raiva do punk, erguem-se entre a fauna das subculturas britânicas, complementam-nas por deambulações digitais e alcançam paisagens da nostalgia post-punk até à reivindicação rap. Sleaford Mods são como um rastilho à espera de resplendor, períodos de tensão e hostilidade decadente.

    Jason Williamson e Andrew Fearn editaram uma dezena de álbuns, três EP’s e uma colaboração com Prodigy no disco, The Day Is My Enemy de onde resultou a faixa “Ibiza”. Foram dez anos de revolta e um pub que anunciava tapas espanholas à inglesa, que culminam em English Tapas (Rough Trade Records, 2017). Uma década de autonomia desenfreada, estrofes de emancipação, e é nesta liberdade absoluta da música dos Sleaford Mods que Iggy Pop se revê e admira. Sendo que o lendário vocalista dos Stooges introduziu a actuação da banda no BBC Radio 6 Music Festival, em 2017.

    É como se não restasse nem mais uma alma no poder, e este duo de Nottingham não pretende tomá-lo de assalto, deseja partilhá-lo connosco, distribuí-lo no cimo do um palco. Na ZDB prevê-se uma noite de gládio, numa união de choque com dois corpos em ponto de ebulição. JH

     

    + info: SiteFacebook | Entrevista | Entrevista | CríticaVídeo | Vídeo

     

    Entradas: 15€ |Bilhetes disponíveis na Flur DiscosTabacaria Martins e ZDB (segunda a sábado 22h-02h) | reservas@zedosbois.org