• CONCERTOS
  • 21 de Junho 2013

    Night Beats | Fast Eddie Nelson

    .

    Night Beats

    Entre os vários ressurgimentos musicais na última década, o rock terá sido aquele que mais se fez sobressair e assentar. O termo é obviamente genérico, mas concentremo-nos precisamente em toda a produção surgida na década de 60. As primeiras investidas pelo psicadelismo, o revestimento eléctrico do blues ou até as sementes do que um dia viria a ser escutado como punk. The Monks,13th Floor Elevators e Electric Prunes imediatamente à cabeça. Uma era perfeitamente capsulada pelas míticas compilações Nuggets, Pebbles ou Back From The Grave e que atingiu corpo na actualidade através de quatro putos terroristas que um dia se deram a conhecer como Black Lips.

    Os norte-americanos Night Beats descendem sonoramente dessa geração de proto-punkers e amantes folk desajustados do sistema que se entregam, de alma e coração, a esse propósito maiorque-a-vida que é alimentar o velho animal do rock n’ roll. Uma santíssima trindade alinhada com a mais básica e mais infalível estrutura de guitarra, bateria e baixo. Dos devaneios fuzz, às canções suadas para horas altas da noites, existe por aqui uma diversidade de referências pouco ou nada habitual. Talvez por isso se distingam de uma torrente de outras bandas contemporâneas. Gostam de nos lembrar que a soul também tem lugar cativo quando assim tem de ser e que de uma simples linhagem blues pode surgir o mais inclassificável objecto sonoro não identificável. Como num estalar de dedos constante, o universo dos Night Beats transforma-se de laboratório insano em festa de garagem (e vice-versa). Devotos às lições psicotrópicas de Timothy Leary ou à literatura esotérica de Arthur Doyle, existe algo de insólito a pairar de fundo na imagética do trio.

    O disco homónimo de 2011 agitou demasiadas mentes para não ter sido notado pela boa gente da Kexp FM e da webzine Tiny Mix Tapes e que, por sua vez, culminou com a recente presença no já lendário Austin Psych Fest ao lado de Boris, Acid Mothers Temple, Silver Apples ou Tinariwen. Pousam neste pedaço de terra pela primeira vez e não é difícil imaginar o caos que se prepararam para semear. Uma boleia com dia e hora marcada, mas sem regresso efectivamente previsto. NA

    .

    .


    Fast Eddie Nelson

    Após mais de 20 anos a tocar Blues e Rock em bandas como Gasoline, The Sullens, Los Santeros, Big River Johnson e Fast Eddie & the Riverside Monkeys, e após um disco em que explorava as fronteiras entre o rock, os blues e o bluegrass, Fast Eddie Nelson apresenta  agora ‘There’s no Place Like Nowhere’ edição conjunta Raging Planet e Vinil Experience. One Man Band de Blues cru, primitivo e que não pede desculpa.’

    .

    .+ Info: BandcampEntrevistaCríticaVídeo | Vídeo

    .
    Entrada: 8€ | reservas@zedosbois.org