• CONCERTOS
  • Quarta, 11 de Abril às 22h

    Nadah El Shazly

     

    Nadah el Shazly
    Oh tudo é diferente, no Cairo quente, dizia a velha canção. Também dizia Cairo, excitante Cairo, apaixonante. A milhas da musicalidade da canção dos Táxi, no Egipto vai surgindo uma cena musical underground, exatamente isso, diferente, excitante e apaixonante. Com Maurice Louca ao leme, do Nilo têm fluido laços musicais que têm dado grandes discos, culminando nos fabulosos The Dwarfs Of East Agouza de Alan Bishop, onde Maurice colabora com o líbio Sam Shalabi. Ambos, que por sua vez, estão de alma e coração na feitura do excelente álbum de estreia de Nadah El Shazly.

    “Ahwar” lançado no final do ano passado, é um verdadeiro avant-rock the casbah, caldeirão de dois anos de influências globais, salteando o rock, a eletrónica e a música experimental. Nadah é uma mulher de armas sonoras num mundo de homens, uma rapariga que começou punk a cantar covers dos Misfits, ao que o tempo e a sua voz fabulosa a levou a reinterpretar clássicos do riquissimo património musical do país do Nilo, acontecendo nesta reunião de poções díspares, a magia da validação como cantora egípcia de pleno direito, abrindo agora com autoridade as portas da pirâmide da experimentação. Tão longe no mapa mas decididamente muito perto de por onde andou Annette Peacock ou Dagmar Krause. Cada tema é uma revolução.

    A sua voz intrigante, poderosa, cantando em árabe, adquire a envolvência narcótica  de uma dança do ventre à velocidade de uns Islam Chipsy 800% mais lentos, mixados com um disco velhinho de Soft Machine (oiçam “Koala”, inacreditável). Há quem a compare a uma Jenny Hval do deserto, compreendem-se até algumas semelhanças melódicas e vocais, mas Nadah é muito mais a tradução em árabe da glossolalia da mítica Breadwoman de Anna Homler. Se procuram uma viagem, preparem-se para dar a volta ao mundo paralelo. NL

     

    + info:  Facebook | Soundcloud | BandcampTumblr | Crítica | Entrevista

     

    Entradas: 8€ |Bilhetes disponíveis na Flur DiscosTabacaria Martins e ZDB (segunda a sábado 22h-02h) | reservas@zedosbois.org