• CONCERTOS
  • Sábado, 16 de Março às 22h

    Giant Swan | trash CAN | Bonaventure (djset)

    Giant Swan

    Giant Swan é uma fera! O duo de Bristol demonstrou trunfos ao longo de 2018 com o lançamento de dois EPs simplesmente viscerais e ainda a merecer franca descoberta ao longo deste ano. Robin Stewart e Harry Wright prestam-se a deitar cá para fora um furacão indomável de ruído e ritmo. Onde começa um e termina o outro, é uma questão complexa e imediatamente anulada pelo êxtase da escuta activa que suscitam. Sabem tratar o noise com a aplicação de cores pouco habituais, do mesmo modo que picam o techno mais cerebral em direcção a outras latitudes, já distantes do plano terrestre. A extensa rede sonora alimentada por drum machines, microfones, pedais e sintetizadores promete uma exploração de caos organizado, abençoada por uma aura de festa omnipresente. Os dois músicos tomaram a improvisação como forma de expressão livre criando uma espécie de paraíso, algures entre uma rave memorável e um concerto punk ensopado por suor e cerveja.

    A carga electrizante e hipnótica que transportam é familiar ao léxico de uns Black Dice, Out Hud, HEALTH ou Ron Morelli (e principalmente muita da música vinda da sua editora L.I.E.S Records). A ausência de necessidade em alcançar um destino concreto, atribui enfoque ao processo em si e não a qualquer eventual chegada a um destino final. “High Wasted” leva-nos, pelos carris em chama, a túneis caleidoscópicos e paisagens pixelizadas em pouco menos de meia hora de delírio – desligando o cérebro e activando o espírito. Tamanha experiência não passou despercebida em conceituados festivais internacionais como o Atonal ou Unsound, marcando ainda presença na meca berlinense Berghain ou num vertiginoso capitulo da série Boiler Room.

    Não desvalorizando obviamente o trabalho que registam em estúdio, o habitat dos Giant Swan encontra-se fora dele. É ao vivo, preferencialmente rodeados de corpos e atmosfera quente, que se desenlaça o ritual electrónico e se entende que dali adiante não existirá retorno a porto seguro. Escapismo no seu melhor, ou se preferirem, ganhos maiores para o corpo e mente. Uma noite de estreia, para bravura colectiva. NA

     

    +info: Soundcloud | BandcampFacebook | Vídeo | EntrevistaEntrevista

     

    trash CAN

    O críptico trash CAN retorna este ano às edições, trazendo consigo o ecléctico e insolente DEEPFAKE CIUDAD. Aqui, não restará estrutura por desconstruir, conceito por dissecar, margem do espectro sonoro por desbravar. Para os que já estão familiarizados com o projecto, este EP surge como uma resposta ao seu primeiro lançamento pela Rotten Fresh (NOVA VISTA), onde o futuro se mostrava uma psicadélica colagem do urbano com a transcendência. Agora o panorama é outro: a alteração da percepção sensorial é uma caótica justaposição do presente com a máquina, recém-nascida nostalgia comercial em semiautonomia.

    O som é uma rádio-viagem alucinogénia pelos mais variados universos da distopia, que sobrepostos criam a cidade por onde nos perdemos. É hipnagógico, é rítmico, é cyberpunk conformado, manifesto na distorção digital do antigamente. Não será fácil encaixar a música de trash CAN num só género, pois como o pensamento colectivo da humanidade contemporânea, é intrinsecamente ambivalente e quiçá contraditória. Passamos do explosivo ritmo de um bom step para caleidoscópicas sequências de sintetizador que nos remetem para a “zona” de Stalker. E a voz? Será humana ou um engenho artificial? Ao vivo, espera-se um tumulto. Toda a metafísica sobreposta ao furor rítmico, sem limites. Dançar pelo fim.

    +info: Bandcamp | Vídeo | Entrevista | Facebook 

     

    Bonaventure (DJset)

    Soraya Lutango aka Bonaventure faz erigir feras onde a dança se faz com a consciência destes tempos melindrosos, num compêndio de batidas e sons desviantes em fluxo de consciência. Com ligações à NON (com uma faixa na compilação NON Worldwilde Compilation Triology Volume 1) e editora PTP. Depois de se juntar à família Discwoman, Bonaventure regressa à ZDB para um set tumultuoso.

     

    + info: soundcloud | mixmag | entrevista | Discwoman

    Entrada: 10€ |Bilhetes disponíveis na Flur DiscosTabacaria Martins e ZDB (segunda a sábado 22h-02h) | reservas@zedosbois.org