• Apresentações
  • Sexta e Sábado, 22 e 23 de Junho de 2018, às 21.30

    A Educação da Desordem – projeto em mutação

    de Clara Andermatt e Mickaella Dantas

     

    Ensaio aberto realizado em novembro de 2017 no estúdio ACCCA ©Alípio Padilha

     

    A estreia da peça A Educação da Desordem – projeto em mutação, assinala a primeira colaboração do NEGÓCIO com Clara Andermatt.
    Vocacionado para o acolhimento e acompanhamento de processos criativos no âmbito das artes performativas, o NEGÓCIO privilegia a investigação e a experimentação como actividades essenciais para a criação contemporânea. Nesse sentido, é particularmente enriquecedor apresentar um projecto no qual Clara Andermatt se reinventa e leva a cabo uma reflexão profunda sobre o corpo e sobre os seus limites, sobre novas linguagens e sobre as repercussões sociais que a sua pesquisa origina.

     

    A Educação da Desordem – projeto em mutação

    de Clara Andermatt e Mickaella Dantas

    Um projeto de investigação com exploração das áreas da Dança, Performance e Fotografia, a partir de uma parceria entre a coreógrafa Clara Andermatt e a bailarina Mickaella Dantas, com a colaboração da escritora Patrícia Portela e do fotografo Yves Callewaert.

    Atualmente no formato de conferência/performance, introduzem-se temáticas relacionadas com a imagem, a publicidade, a ética e a biotecnologia, abrindo-se a outras que possam surgir e convocar relações entre arte, corpo, diferença e deficiência.
    Com A Educação da Desordem – Projeto em mutação, queremos confrontar-nos com a estranheza, o desconforto, situações que nos deixam confusos e nos atrapalham, desequilibrar a forma como percecionamos a diferença e como esta é recebida e interpretada.
    Assumidamente este é um projeto em mutação. Nas diversas apresentações, o publico é convidado a participar numa conversa, dar a sua opinião, partilhar ideias sobre o que viu e ouviu. E é também a partir destes encontros e escutas que o projeto vai crescendo, incorporando ideias e alterações.’

    CA

     

    Ficha Artística

    DIRECÇÃO E CONCEPÇÃO: Clara Andermatt

    CRIAÇÃO E INTERPRETAÇÃO: Clara Andermatt e Mickaella Dantas

    COLABORAÇÃO: Patrícia Portela, Jonas Runa e Vitor Rua

    FIGURINOS: Peças de Aleksander Protic

    LUZES: Clara Andermatt e José Alvaro Correia

    FOTOGRAFIA: Stéphane Bechaud com orientação de Yves Callewaert e Clara Andermatt

    PRODUÇÃO ACCCA – Companhia Clara Andermatt

    APOIO À DIVULGAÇÃO: Antena 2

    ACCCA – Companhia Clara Andermatt é uma estrutura financiada pelo Ministério da Cultura – DGARTES e Câmara Municipal de Lisboa

    AGRADECIMENTOS:  Companhia Maior; Luzeiro; Forum Dança; Carlos Gomes

    .

    Notas Biográficas:

    CLARA ANDERMATT
    Iniciou os seus estudos de dança com Luna Andermatt. Diplomada pelo London Studio Centre e pela Royal Academy of Dancing (1980-84, Londres); foi bailarina da Companhia de Dança de Lisboa, sob a orientação de Rui Horta (1984-88), e da Companhia Metros de Ramón Oller (1989-91, Barcelona).
    Em 1991, cria a sua própria companhia coreografando um vasto número de obras regularmente apresentadas em Portugal e no estrangeiro. Em 1994 inicia a sua colaboração com Cabo Verde, organizando várias ações de formação e realizando diversos espetáculos com bailarinos e músicos daquele país, uma cooperação que mantém até hoje. É regularmente convidada a criar para outras companhias, a leccionar em diversas escolas e a participar como coreógrafa em peças de teatro e cinema. Tem feito formação contínua na área do teatro com os professores americanos Michael Margotta e Robert Castle. Colaborou com ambos ao nível da criação, é membro do Actor’s Centre Roma (Michael Margota) desde 2002 e colabora com o IT New York (Robert Castle) desde 2008. O seu percurso revela uma evidente predileção pelo contacto com outras áreas, especialmente nas zonas de fronteira entre géneros e estilos, entre o corpo treinado e não treinado e o desejo de aproximação do outro, procurando sentir e perceber a diferença de cada indivíduo. Ao longo da sua carreira, tem sido distinguida com diversos prémios dos quais destaca: 1º Prémio do III Certamen Coreográfico de Madrid com a coreografia En-Fim (1989) Menção Honrosa do Prémio Acarte/Madalena Perdigão da Fundação C. Gulbenkian para a coreografia Mel (1992); em conjunto com Paulo Ribeiro, o Prémio Acarte/Madalena Azeredo Perdigão com a obra Dançar Cabo Verde (1994); e Prémio Almada atribuído pelo MC e Espetáculo de Honra do Festival Internacional de Almada pela obra Uma História da Dúvida (1999).

    MICKAELLA DANTAS
    Artista brasileira: Bailarina e criadora. Reside em Portugal desde 2011 desenvolvendo o seu trabalho na dança contemporânea e dança inclusiva. Teve formação no PEPCC 2013/2014 – Forum Dança, e workshops com Louise Chardon, Loïc Touzé, Marlene Monteiro Freitas, David Zambrano, Thomas Hauert, Patrícia Portela, entre outros. Actualmente dedica-se ao projeto de sua autoria: Experimento Frankenstein – Investigação sobre corpos biomecânicos, e ao treino de trapézio de circo. Como intérprete e artista colabora frequentemente em projetos de Clara Andermatt, Dançando com a Diferença, Ana Borralho e João Galante, e Carla Vendramin (BR). Ainda trabalhou com o Roda Viva Cia de Dança (BR), Candoco (UK), Radar 360º. Participou, como tap dancer, na publicidade “We´re The Superhumans” do realizador Dougal Wilson – Rio 2016 Olimpíadas e Chanel 4 (UK), e ainda como modelo vivo do estúdio Hybrido (BR) e da vídeo-instalação “Mickaella Dantas (2014)” assinada por Tiago Alexandre (PT). Na produção esteve com a Casa Branca e Companhia Umpor1. Ministrou workshops no Lab In Dança – Câmara de Santa Maria da Feira, PEPCC 2015/2016 e Projecto Redondo – Forum Dança, Projeto de Extensão Diversos Corpos – UFRGS (BR), Colectivo de Dança 209 (BR) e Encontro de Dança do RN – RENDA (BR). Participa  regularmente em simpósios e debates sobre o cruzamento de artes ou ações inclusivas: foi júri do Prêmio Acesso Cultura e British Council (PT/UK), conferencista no Simpósio Corpos Diferentes – UFRN (BR) e nos MedTalks – Laboratórios Vitória. Sobre as criações em dança e performance destacam-se: Moriá (2014); RINS (2015) para o Festival Inshadow; Frankenstein_3R15 (2016) para o Festival de Marionetas do Porto.

     

    22 e 23 de Junho de 2018 – Sexta e Sábado às 21.30

    Entrada: 7,5€

    Entrada estudante em grupo: 5€

    reservas@zedosbois.org | Tel: 00351 21 343 02 05

     

    NEGÓCIO _ Rua de O Século, nº 9 porta 5

    A bilheteira do NEGÓCIO abre às 21h

    www.zedosbois.org

     

    NECIO – Programação Marta Furtado – Apoio Técnico Mafalda Oliveira – Imagem de projecto Sílvia Prudêncio – Frente de casa Liliana Baroni – Manutenção Maria Emília.

     

    As actividades da ZDB, salvo as do Serviço Educativo, são Indicada para maiores de 16 anos.
    A ZDB é Financiada pela Secretaria de Estado da Cultura – Direcção- Geral das Artes.
    A ZDB tem o apoio da C.M.L e do Instituto de Gestão Financeira da Segurança Social.