• RESIDÊNCIAS
  • 4ª Edição Residências Artes Visuais ZDB


    .

    Ana Martins

    Maria Asher

    Tiago Baptista

    Joana da Conceição

    Filipa Cordeiro

    Filipe Felizardo

    Carlos Gaspar

    Carlos Godinho

    Salomé Lamas

    Joana Nascimento

    Gonçalo Pena

    Sílvia Prudêncio

    Alexandre Rendeiro

    André Trindade

    .

    Natxo Checa

    .

    A quarta edição das Residências ZDB reúne um grupo heterogéneo de artistas que, desde início de Setembro até 31 de Dezembro, ocupa as salas do Palácio de Santa Catarina, junto ao Miradouro do Adamastor, em Lisboa.

    Nas suas relações profissionais com os artistas, a ZDB equaciona diversos níveis de entendimento: os avanços intelectuais, as relações humanas e as possibilidades de criação artística. As Residências, presididas pela experimentação, pela partilha e pela relação crítica num propósito de produção artística, constituem uma actividade basilar no contexto da acção da ZDB. 
    Porque as necessidades de renovar informação, reciclar técnicas e partilhar experiência são constantes no universo da criação, este programa parte da vontade dos elementos da equipa da ZDB e mais concretamente do curador Natxo Checa, de intensificar com os criadores convidados o intercâmbio de conhecimentos, práticas artísticas e de produção.
    Privilegiando a experimentação, bem como o diálogo entre pares, as Residências ZDB, proporcionam aos seus intervenientes um espaço permanente de atelier, condições de produção e um conjunto de actividades paralelas aos processos de criação individuais. Pretende-se um acompanhamento quotidiano próximo e um posicionamento crítico em relação a cada um dos projectos, com vista não apenas ao seu enriquecimento mas, igualmente, às suas possibilidades de produção.

    Nesta edição são organizadas sessões diárias e informais de três a quatro horas nas quais cada artista é convocado a dar a conhecer o seu trabalho, oferecendo-o ao escrutínio, discussão e reflexão do colectivo. Ainda, os residentes são confrontados semanalmente a trabalhar em propostas cujo resultado quer-se prático e assente em parâmetros discursivos. Paralelamente, cada semana, um artista ou cientista sénior é convidado a falar na sua especialidade relacionando-a com o trabalho laboratorial desenvolvido nas residências. Estas palestras, para além do privilégio do contacto directo, possibilitam a aquisição de conhecimentos oriundos de outras áreas e visam estabelecer estreitas ligações entre os processos criativos da produção artística e de metodologias aplicadas em ciência.

    Até hoje tivemos o privilégio de contar com as tutorias de Alexandre Estrela, Gabriel Abrantes, Jamima Stheli (prof. Goldsmith photo), RIGO23 (artista, vive em sao francisco, projecto q esta a desenvolver com as comunidades indigenas de chiapas), João Simões (vive em niorque, artista conceptual) , David Wharry (cineasta experimental londres e traductor Joyce para francés), Morton Subotnick (primeiro sintetizador da costa oeste americana)-silver apples on the moon), Tony Martin (artista visual, professor, manifesto Electronic arts intermix 1959) , Ben Roussel (cineasta ganhou o doc, prof univ. arte), Danielle Monroig (arquivo Otto Muehl – accionismo vienense), Marta Moita (neurociencias, champalimaud) e Klaus Wiborny (cineasta e director foto do Werner Herzog), Mattia Denisse (artista visual, escritor, editor catalogo veneza jmg+pp veio apresentar o seu novo livro a lancar dia 21 de dezembro na zdb) e Miguel Soares (Investigador do Instituto Gulbenkian ciência).